Arquivo

Archive for the ‘Consoles’ Category

Novos hardwares na E3: PSVita e Wii U

// PS Vita

Depois do vazamento sobre o seu novo portatil, chamado de NGP, enfim a Sony apresenta o nome oficial e suas especificações, assim chega o Playstation Vita (PS Vita).

Além do nome, Kaz Hirai, presidente da gigante no Japão, oficializou também o lançamento do aparelho para o final do ano, no Natal deste ano.

Leia mais …
Leia mais…

Anúncios
Categorias:Consoles Tags:, ,

Nintendo: Wii U não vai reproduzir DVD nem Blu-Ray

Segundo a empresa, maioria das pessoas já tem um aparelho para essas mídias; além disso, custo do licenciamento de patentes não compensaria.

Em uma sessão de perguntas e respostas com investidores realizada em 8 de junho – e cujo conteúdo só agora foi traduzido para a língua inglesa -, o CEO da Nintendo, Satoru Iwata, confirmou que o Wii U não vai reproduzir DVD nem Blu-Ray.
Em resposta à pergunta “A empresa planeja fazer do Wii U um console de entretenimento doméstico, incluindo drives Blu-Ray ou DVD, ou ele será mais como o Wii e ser mais um console de games puro?”, Iwata respondeu com a segunda opção.
Leia mais…

PlayStation Phone é homologado pela Anatel!

Aí sim! Teremos um PS Phone nacional…

A divisão nacional da Sony deu um grande passo para a comercialização do Xperia Play – também conhecido como PlayStation Phone – no Brasil. A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) divulgou em seu site que o aparelho foi homologado e já pode ser comercializado em todo o Brasil. A homologação do produto foi necessária por conta das conexões Wi-Fi e 3G apresentadas por ele, e não significa que o aparelho em questão já está nas lojas. De acordo com a Anatel, esse processo é necessário para assegurar que os produtos comercializados no país possuam um padrão mínimo de qualidade e adequação aos serviços a que se destinam.

Prometido para o segundo semestre deste ano, as especificações técnicas para o Xperia Play nacional serão as mesmas dos Estados Unidos, ou seja, o aparelho estará disponível nas cores preta e branca acompanhado de um cartão SD de 8 GB, tela sensível ao toque e rodará o sistema operacional Android Gingerbread 2.3. O aparelho traz também uma câmera de 5.1 megapixels de resolução, tela de toque de 4 polegadas, processador Snapddragon de 1GHz de velocidade e chip gráfico Adreno, que promete rodar os games a 60 quadros por segundo.

Segundo o site oficial, o Xperia Play terá até sete jogos carregados na memória e total acesso à rede Android Market, que possui jogos como “Angry Birds” e “Dungeon Defence”. Empresas como a Namco Bandai, PopCap e Gameloft anunciaram que oferecerão conteúdo para o aparelho, mas não há projetos anunciados. Vale lembrar que as versões de games para o primeiro PlayStation que estão na PlayStation Store não são compatíveis com o Xperia Play, obrigando o jogador a comprá-las novamente, caso já as possuam, quando o serviço estiver disponível para o aparelho.

Mais algumas características

Como no PSPgo, há uma tela que protege os botões e corre na vertical, revelando os seis botões clássicos presentes em consoles/portáteis da família PlayStation (quadrado, X, triângulo, círculo e teclas de ombro, provavelmente L e R), além de direcional digital e duas alavancas analógicas.

Também foi revelado que o portátil contará com suporte a aplicativos como o Google Talk, o programa para conversas desenvolvido pelo Google, Google Mail (popularmente conhecido como GMail), Twitter, Facebook e outros.

Aqui um dos comerciais do Xperia Play (ou PlayStation Phone)


Categorias:Consoles, Mobile

Mario Kart Rémi Gaillard está de volta !

20 de março de 2011 1 comentário

Mario Kart Rémi Gaillard está de volta !

Nintendo 3Ds, conheça alguns dos games !

20 de fevereiro de 2011 Deixe um comentário

Deixo aqui pra vocês um vídeo bem legal, de uma amostra dos jogos do NIntendo 3DS, achei bem legal os gráficos, eu que sou fã de Resident Evil, achei os gráficos dele muito parecido com Resident Evil 5 do PC, não acreditam ? Dêem uma olhada
Os jogos mostrados são : Steel Diver, Madden NFL Football, Legend of Zelda: Ocarina of Time, Pilotwings Resort, Super Street Fighter IV 3D and Resident Evil: The Mercenaries 3D .

Categorias:Consoles Tags:

Metroid: Other M 2010 exlclusivo para o Wii

20 de fevereiro de 2011 Deixe um comentário

“Metroid: other m” é a maior prova de que o Wii fez bem para a Nintendo. O sucesso do console fez que com a fabricante, sempre muito presa às suas raízes, fizesse contato com outras empresas, olhasse o mercado e o que acontece na cultura pop expandindo seus horizontes. O resultado é que o novo game da heroína Samus Aran, ao mesmo tempo em que consegue se manter fiel às origens e atender o que os fãs mais fervorosos da série pedem à produtora, se renova para o século XXI e quebra alguns paradigmas. Após levar três games com visão em primeira pessoa para os consoles na série “Metroid prime”, lançada para GameCube e Wii, a Nintendo optou por voltar ao gênero de aventura e plataforma em “Other m”. Quem jogou “Super metroid”, do Super Nintendo, terá uma bela recepção ao ver que o novo título começa exatamente onde o clássico da era 16-bit termina, com a batalha contra o chefe final daquele game, a Mother Brain.

É a partir deste ponto que o jogador se depara com algo raro vindo da Nintendo. A empresa, diferentemente de outros de seus grandes títulos, desenvolve Samus como personagem, contando mais da sua história, suas qualidades e temores. Nem mesmo em games como “The legend of Zelda”, a empresa explora o herói neste sentido. Nesta série, por exemplo, o desenvolvimento fica por conta da história. Assim, o game mostra Samus como uma adolescente rebelde que tinha problemas em receber ordens, revelando os motivos pelos quais a fizeram se tornar uma caçadora de recompensas.

 

Durante a primeira parte do game e ao final da aventura, vídeos contam mais sobre Samus. O modo como isso é feito remete ao seriado “Lost”, que conseguiu desenvolver bem seus personagens ao longo de seis anos. Logo após um confronto com uma criatura ou chefe de fase, entra um flashback que mostra momentos da vida da heroína. Os vídeos são muito bem produzidos e trazem elementos da série que só os fãs de verdade poderão reconhecer.

A aventura de “Metroid” é conhecida por focar na exploração dos cenários, o que mostra que a Nintendo foi ousada a fazer com que “Other m” apresentasse um desafio mais linear. Desde o momento que Samus entra na misteriosa estação espacial gigante ao atender um chamado de socorro, tudo o que o jogador precisa é seguir para um determinado ponto no mapa ou cumprir uma determinada ordem. Entretanto, para conseguir abrir portas trancadas, será necessário explorar cenários e fazer um tradicional “ir e vir” pela estação para conseguir avançar.

Novo estilo de design

A decisão de optar por desenvolver um game de plataforma em três dimensões certamente consegue dar um novo vigor à franquia, desgastada por conta de três títulos em primeira pessoa. Assim, o visual de “Metroid: other m” agrada, com cenários grandes e pequenos apresentam muitos detalhes. As texturas, principalmente nas áreas “orgânicas” (com geleiras e florestas) são bastante pobres, dando um visual de jogo antigo ao título.
O jogador acompanha Samus pelo cenário em uma visão de terceira pessoa, enfrentando inimigos com o seu canhão laser e mísseis. O Wii Remote, o controle do Wii, deve ser segurado lateralmente, remetendo ao controle do NES. Embora seja um pouco “duro” controlar a personagem em um ambiente em 3D com um direcional digital, o sistema de mira inteligente permite ataques precisos contra os inimigos.

 

 

O game entra em um modo de combate em primeira pessoa quando o jogador aponta o controle para a tela. Desse modo, é possível disparar mísseis contra os adversários, ter uma maior precisão no ataque, observar os cenários e descobrir para onde se deve ir e até resolver alguns enigmas. Esta decisão de design, no entanto, não é perfeita. Ao entrar neste nodo de combate, Samus fica imóvel, fazendo com que os inimigos consigam atacar a heroína facilmente. Jogadores acostumados com games de tiro em primeira pessoa, até mesmo com a série “Metroid prime”, se sentirão travados neste modo. Mudar a posição do controle também é um pouco incomodo, mas pega-se o jeito após algum tempo de jogo.

Visão em primeira pessoa ajuda na exploração,mas personagem fica ‘travada’, tornando oscombates mais difíceis.

É importante entender o funcionamento do esquema de controle, pois existem muitos combates em “Other m”, talvez mais do que em qualquer outro título da franquia “Metroid”. Praticamente em toda a sala que se entra haverá inimigos com diversos níveis de Inteligência Artificial para combater. O foco nas batalhas permitiu criar movimentos de finalização. Samus pode montar em monstros maiores e destruí-los com um poderoso tiro. Ela também possui um movimento de esquiva e de contra-ataque: basta pressionar o direcional para qualquer lado no exato instante que o inimigo ataca.

Mesmo com muito tiroteio, a exploração dos cenários está presente. Samus deverá escalar plataformas e se transformar em “Morph Ball”, em uma pequena bola, para adentrar corredores estreitos para procurar itens.

O destaque dos combates, contudo, está nas batalhas contra os chefes. Eles são bestas gigantes que conseguem retirar muita energia do jogador em um ataque. Eliminá-los envolve descobrir seus pontos fracos e utilizar táticas que utilizam todos os poderes da heroína e os ataques do modo de visão em primeira pessoa. Destruí-los após uma batalha empolgante é a garantia de satisfação por ter adquirido o game.

Embora “Metroid: other m” apresente muitos desafios e muitas horas de jogo, ele não é um título voltado para qualquer jogador. Novatos na franquia poderão se perder na história, frustrando-se ao não conseguir resolver determinados quebra-cabeças, por exemplo. Os mais experientes poderão torcer o nariz para a opção de design da Nintendo, principalmente na travada visão em primeira pessoa. Mas, deixando de lado estes problemas, “Other m” consegue fazer bem o seu trabalho de renovar a franquia, mostrando que a Nintendo está com a cabeça mais aberta para as novidades.

 

Categorias:Consoles Tags:

PlayStation Move : Um Wii Remote melhorado

30 de setembro de 2010 Deixe um comentário

Não estava demorando para sony inventar ( Ou plagiar, quem sabe? ) algum troço que capte movimentos como o Nintendo Wii e agora o Kinect360  para o controle, e não deu outra, ela inventou, e para piorar, ela fez um Wii Remote melhorado, sim, isso que vocês leram, um Wii remote melhorado, sabe o controle do Wii que vocês movimentam como se estivesse usando uma raquete, ou uma espada de verdade ? Ela fez igual, só que com uma bola de luz com uma camera, que segundo a empresa da Sony, significa que você poderá apunhalar alguém com uma espada, ao invés de apenas golpear como o Wii fazia.
Pode parecer bacana , mas na minha opinião é muita falta de originalidade da Sony, acho que muitos deve estar pensando: Mas o Ps3 tem mais gráficos que o Nintendo Wii, sim, mas a sony não precisa copiar um controle desses só pra agradar os fãs, porque quem curte o Ps3, já está muito satisfeito com o seu simples controle e gráficos, coisa que o nintendo Wii não tem.

Mas resumindo, o Playstation Move pode ter vantagens sim no futuro, já o acessório tem uma camera, e  jogos são todos em HD, com gráficos poderosos , já que estamos se referindo do poderoso Playstation 3.

O Playstation Move saiu com um jogo de lançamento, o Sports Champions, que é praticamente igual ao Wii Sports do Nintendo Wii.

As criticas foramForam muito “mixadas”, vários críticos viram futuro no controle, como vários outros disseram que não passa de cópia. Para Michael Patcher, o controle não passa de uma espécie de “Wii HD”, sem muitas inovações. Quando a Sony divulgou o Playstation Move, a Nintendo declarou que o controle não passa de uma cópia invejosa do Wii Remote e alfinetou também o Kinect da Microsoft dizendo que é apenas uma melhoração na “Dashboard” do Xbox 360. A produtora de Uncharted disse que o foco do jogo não é o Playstation Move mas que pode marcar o início de uma nova franquia, e também deu mais comentários dizendo que o controle tem futuro, pois pode atrair jogadores do Wii, pois acredita que na Rede do Playstation 3, a Playstation Network, tem muitos jogadores que possui o console rival. Mesmo com as críticas e com o potencial dos concorrentes, a Sony disse estar confiante com o controle. Recentimente, a Sony deu mais uma declaração e disse que o Playstation 3 desde o início, foi focado no Playstation Move.

significa que você pode apunhalar alguém com uma espada, ao invés de apenas golpear.
Categorias:Consoles, Uncategorized